Brasil Bate Recorde Internacional de Titularidade Mais Rápida da NBA
Por Paulo Roberto Araújo Filho


Nene
NBA/Getty Image

Quem diria que o basquete masculino brasileiro, fora de duas Olimpíadas seguidas e afastado da NBA por 11 anos (91 com Pipoka a 2002), conseguiria na liga americana um feito inédito para a maioria das potências internacionais, inclusive os cinco primeiros do Mundial-2002 (Sérvia, Argentina, Alemanha, Nova Zelândia e Espanha). Com a efetivação do armador Leandrinho como titular do Phoenix Suns há 17 jogos e o sucesso do pivô Nenê no Denver Nuggets, o Brasil tornou-se o único país estrangeiro na história a ter dois titulares da NBA simultaneamente logo na primeira temporada, aos 21 anos.

Os únicos países a ter dois calouros titulares foram a vice-campeã olímpica França (o francês nascido na Bélgica Tony Parker no San Antonio e Boris Diaw no Atlanta) e a Nigéria com dois primeiros escolhidos em drafts passados (Hakeem Olajuwon pelo Houston em 1984 e Michael Olowokandi pelo LA Clippers em 99).

A exclusividade do Brasil é o fato de ser a única Seleção na história da NBA a emplacar dois jovens titulares sem passagem por universidades americanas, vindos direto dos clubes locais Vasco e Bauru. Os nigerianos número 1 do draft eram radicados nos EUA e fizeram sucesso antes na NCAA: Olajuwon pela Universidade de Houston e Olowokandi pela Universidade Pacific. O francobelga Parker também tinha dupla residência.

A Sérvia, maior potência mundial depois dos EUA, só emplacou seus titulares a partir da segunda temporada na NBA (ver lista abaixo). Nesta temporada, o Brasil é o único país do Hemisfério do Sul com dois titulares. Os outros países que têm dois astros ou mais começando jogos são Sérvia (Peja Stojakovic, Vlade Divac, Marko Jaric e Vlad Radmanovic), França, Canadá (Steve Nash e Jamaal Magloire), Ucrânia (Slava Medvedenko e Vitaly Potapenko) e Turquia (Hedo Turkoglu e Mehmet Okur). Outras seleções fortes têm titulares solitários na NBA como Yao Ming (China), Dirk Nowitzki (Alemanha), Emanuel Ginóbili (Argentina), Zydrunas Ilgauskas (Lituânia), Pau Gasol (Espanha), Rasho Nesterovic (Eslovênia), Gordan Giricek (Croácia), Andrei Kirilenko (Rússia) e Carlos Arroyo (Porto Rico).


Leandrinho Barbosa
NBA/Getty Image

Dentre os países classificados às Olimpíadas, só os virtuais finalistas em Atenas-2004, EUA (logicamente) e Sérvia, têm mais de dois titulares na melhor liga do planeta.

O levantamento realizado pelos sites BasketBrasil e NBA.com/brasil pegou Nenê e Leandrinho de surpresa devido ao recorde de sucesso precoce.

- Descobriram um quesito em que somos melhores que a Sérvia na NBA? Poxa! Não esperava isso de ser titular tão cedo, mas aí o time mandou o Stephon (Marbury) para o New York Knicks e confiou em mim. O amadurecimento e a regularidade são difíceis, mas acho que eu e o Brasil chegamos à NBA para ficar e vêm mais bons calouros por aí. O pessoal (do Suns) me pergunta muito do Baby (pivô da BYU de Utah) – disse Leandrinho.

Nenê, o sul-americano a ser titular mais cedo na NBA (aos 20 anos), acredita que o estilo ousado de contra-ataque e a alegria dos garotos brasileiros conquistou os americanos:

- O europeu é meio frio, tem um jogo mais cadenciado e de fundamento, não de show. O estilo brasileiro se adapta mais fácil aos EUA, gostamos de partir para a cesta, enterrar, correr nos contra-ataques, nos entrosamos fácil com o time. Basta trabalhar a força física. Eu e o Leandrinho tivemos dificuldades com a língua, mas superamos isso com nosso jeito alegre de ser e jogar. Outros brasileiros como Anderson e Tiago (Splitter) podem aproveitar essa mesma chance no próximo draft – disse Nenê, que ganhou a posição no Denver deixando no ostracismo o novato geórgio Nikoloz Tshkitvilli.

O técnico da Seleção Brasileira, Lula Ferreira, crê que o Brasil terá experiência internacional e ritmo de jogo suficiente para explodir no Mundial-2006. Se depender de penetração rápida no melhor basquete do mundo, o país já seria medalha de bronze.

- Esse intercâmbio com EUA e Europa é muito importante, a Argentina já provou isso. Vai ser muito bom desde que os jogadores da NBA tenham tempo de treinar com a Seleção antes das competições. Com o passar dos anos, eles não terão obrigação de disputar liga de verão e podem ser cedidos mais cedo. Nenê é o dono do nosso garrafão pela força nos rebotes, o Leandrinho está bem pois conseguiu ser titular lá muito cedo e ainda temos o Alex treinando com o campeão San Antonio. O potencial de futuro do elo Brasil/NBA é muito bom – afirmou o técnico do Ribeirão Preto/COC e da Seleção.

Quadro comparativo com o futebol brasileiro:

Para o torcedor que só acompanha futebol, a comparação da penetração do Brasil na NBA lembra um pouco o fenômeno colombiano no futebol brasileiro, pentacampeão do mundo. A Colômbia, mesmo sendo um país periférico no futebol mundial, é o que mais emplaca destaques por aqui: Rincón no Corinthians, Aristizábal campeão pelo Cruzeiro e hoje no Coritiba, Muñoz no Palmeiras, Asprilla, o falecido Usuriaga e outros. Se considerarmos a fase ruim do basquete nacional, dá para comparar com a leva de japoneses que vieram aprender nos times profissionais do futebol verde-amarelo: Kazu, Maezono, Sugawara...

Cotação dos brasileiros para o draft 2004

 24o escolhido – Pivô Rafael “Baby” Araújo (Brigham Young University de Utah)iria para o New Jersey Nets
 27o escolhido – Ala-pivô Anderson Varejão (campeão europeu pelo Barcelona) iria para o San Antonio Spurs
 33o escolhido – Armador Marcelinho Huertas (Paulistano) iria para o Washington Wizards

* O site acertou 43 dos primeiros 50 escolhidos no draft de 2003, mas a colocação por times é imprecisa, pois depende da colocação final na atual temporada e o sorteio da ordem de escolha no draft, em maio.

Quadro de titularidade por país na NBA, Brasil é o mais rápido em maturação:

Sérvia campeã mundial

Peja Stojakovic (titular do Sacramento na metade da segunda temporada)
Vlade Divac (titular do LA Lakers no início da segunda temporada)
Marko Jaric (titular no início da segunda temporada pelo LA Clippers)
Vlad Radmanovic (titular na metade da segunda temporada pelo Seattle)
Os outros cinco são reservas

Croácia vice-olímpica de 92

Toni Kukoc (titular na metade da segunda temporada pelo Chicago, depois reserva até hoje no Milwaukee)
Gordan Giricek (titular na metade da primeira temporada pelo Orlando)
Drazen Petrovic (titular na primeira temporada pelo New Jersey, morreu em 93)

França vice-olímpica de 2000

Tony Parker, nascido na Bélgica (titular na primeira temporada pelo San Antonio)
Tariq Abdul-Wahad (titular no início da segunda temporada pelo Sacramento, hoje nem joga pelo Dallas)
Boris Diaw (titular na metade da primeira temporada pelo Atlanta)

Canadá

Steve Nash (titular no início da terceira temporada pelo Dallas)
Jamaal Magloire (titular no início da terceira temporada pelo New Orleans)
Rick Fox (titular na segunda metade da segunda temporada pelo Boston)

Turquia

Hedo Turkoglu (titular na metade da terceira temporada pelo Sacramento)
Mehmet Okur (titular na metade da segunda temporada pelo Detroit)

Lituânia, atual campeã européia

Zydrunas Ilgauskas (titular no início da segunda temporada pelo Cleveland)
Arvydas Sabonis (titular na metade da primeira temporada pelo Portland)
Sarunas Marciulionius (titular na metade da segunda temporada pelo Sacramento)

Alemanha

Dirk Nowitzki (titular no início da segunda temporada pelo Dallas)
Shawn Bradley (ALE/EUA) (titular no início da primeira temporada pelo Philadelphia, hoje reserva do Dallas)
Detlef Schrempf (titular na terceira temporada pelo Indiana, depois reserva do Portland)

Argentina vice mundial de 2002

Emanuel Ginóbili (titular no início da segunda temporada pelo San Antonio)
Pepe Sanchez (reserva que entrou pouco em três temporadas na NBA)
Ruben Wolkowyski (reserva que entrou pouco em duas temporadas na NBA)

China

Yao Ming (titular no início da primeira temporada pelo Houston)
Wang Zhizhi (reserva até hoje pelo Miami)

Espanha, vice européia em 2003

Pau Gasol (titular no início da primeira temporada pelo Memphis)
Raul López (reserva do porto-riquenho Carlos Arroyo no Utah)

Eslovênia

Rasho Nesterovic (titular na segunda temporada pelo Minnesota)
Bostjan Nachbar (reserva até hoje pelo Houston)

Perfil de Paulo Roberto Araújo Filho

Paulo Roberto Araújo Filho , 25 anos, iniciou sua carreira jornalística em 1997, graduando-se em 1999 pela Universidade Metodista de São Paulo. Foi locutor e repórter da rádio comunitária Vitrola FM em São Caetano do Sul antes de ingressar como estagiário no LANCE!, maior jornal de esportes do Brasil, dois dias antes da Copa do Mundo de 1998. Especializou-se na cobertura de estatísticas esportivas, handebol e basquete (nacional e NBA) antes de se tornar chefe da edição de Curitiba e posteriormente editor na edição principal, de São Paulo. Mesmo com a promoção, continuou a escrever matérias e colunas sobre a NBA, além de especiais sobre outros esportes. No LANCE!, participou como editor das coberturas de três GPs do Brasil de Fórmula 1, Copa do Mundo de futebol (2002), Olimpíadas de Sydney-2000 e Jogos Pan-Americanos de 2003. Suas outras áreas de interesse profissional são cultura e política. Fez pós-graduação nessas áreas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e em 2004 vai defender uma tese sobre a Guerra Fiscal e sua repercussão na imprensa regional na disputa entre Bahia e Rio Grande do Sul pela fábrica da Ford em 2000.

NBA nas redes sociais

Vídeo

  • Postgame: Westbrook

    Russell Westbrook addresses the media following the Thunder's loss to the Bulls.
  • Mavericks vs. Trail Blazers

    LaMarcus Aldridge scores 17 points with 12 boards, Nicolas Batum adds 15 and 12 rebounds as the Trail Blazers rout the Mavericks 94-75.
  • Gee Steals and Dunks

    Alonzo Gee picks off the pass and takes it in for the dunk.
  • From Half-Court

    A Blazers' fan hits a half-court shot to win a Toyota.
  • Go Gee

    Chris Kaman makes the inside feed to Alonzo Gee for the nasty two-hand finish.
  • Defense To Offense

    Robin Lopez gets the block that leads to a Nicolas Batum layup plus the foul.
  • Defense To Offense

    Robin Lopez gets the block that leads to a Nicolas Batum layup plus the foul.
  • Active Hands

    Damian Lillard gets the steal that leads to a Alonzo Gee dunk on the other end.
  • Wesley Matthews Injury

    Wesley Matthews tries to get out in transition for a quick basket, but would take a spill and leave the game with an ankle injury.
  • Wesley Matthews Injury

    Wesley Matthews tries to get out in transition for a quick basket, but would take a spill and leave the game with an ankle injury.
  • To The Rack

    Nicolas Batum feeds Robin Lopez who elevates and throws it down.
  • Thunder vs. Bulls

    Nikola Mirotic scores 26 points and collects 8 rebounds as the Bulls win a nail biter over the Thunder 108-105.