Adriano Albuquerque é jornalista esportivo e serviu como editor e repórter do site BasketBrasil (http://www.basketbrasil.com.br) por cinco anos, entre 2005 e 2010. Já passou pelas redações do diário LANCE! e do site Globoesporte.com, e cobriu diversos esportes como basquete, futebol americano, futebol, beisebol, streetball, tênis, vôlei e natação. Também foi assessor de imprensa da Federação de Futebol Americano do Rio de Janeiro e do Botafogo Mamutes. Atualmente, cobre MMA para o SporTV.com. É torcedor do Detroit Pistons desde os tempos dos Bad Boys de Isiah Thomas, Joe Dumars e Bill Laimbeer.

Quem Vai Levar - Técnicos: Quem Está Rindo Agora?

Lembra na nossa primeira coluna sobre a corrida pelo prêmio de Técnico do Ano, quando eu disse que Jason Kidd estaria em último lugar? Então, imagine minha surpresa nesta segunda-feira, quando recebi o release anunciando que o treinador do Brooklyn Nets foi premiado Técnico do Mês na Conferência Leste! Não, eu não parei de acompanhar a NBA; o time alvinegro conquistou a melhor marca da conferência nos primeiros 31 dias do ano, com 10 vitórias e três derrotas.

Estou mais impressionado com o que Mike Budenholzer foi capaz de fazer – e não só em janeiro, mas desde o início da temporada, e ainda mais desde que Al Horford se lesionou. Este era um time do qual se esperava regressão após a saída de Josh Smith e uma campanha de loteria. Não é o que estamos vendo: Atlanta é o terceiro melhor time do Leste, apesar de ter entre seus principais jogadores nomes desconhecidos como DeMarre Carroll, Mike Scott e Shelvin Mack. Nem a lesão de Horford, melhor jogador da equipe, parou o Hawks. Budenholzer vem aproveitando muito bem Paul Millsap, que sempre foi um jogador muito valoroso em Utah, mas nunca teve um papel de destaque, e ajudou Jeff Teague a se tornar um dos melhores armadores do Leste.

O melhor treinador da liga neste ano provavelmente ainda é Frank Vogel, cujo sistema ajuda seus Pacers a serem candidatos a vários prêmios nesta temporada, mas Budenholzer merece espaço na discussão. Outro treinador estreante que está firmemente colocado na disputa é Jeff Hornacek, que continua surpreendendo com o Phoenix Suns. O melhor jogador do time, Eric Bledsoe, se machucou, mas Hornacek continua extraindo o máximo de Goran Dragic, Gerald Green, Miles Plumlee e dos gêmeos Morris. Achou até um lugar na rotação para Leandrinho! Contra todas as previsões, o Suns continua no campo de classificados aos playoffs e, com sua velocidade e garra, pode surpreender um time "grande" na pós-temporada.

Tenho que ser justo: Kidd merece um lugar na lista agora. O crescimento do Nets não foi acidente. O ex-armador está aprendendo "na fogueira" a ser um treinador e conseguiu remodelar a defesa do time mesmo após a lesão que tirou sua âncora no garrafão, Brook Lopez, de ação por toda a temporada. Brooklyn cedeu apenas 95,3 pontos por jogo em janeiro - uma melhora de quase sete pontos por partida em relação aos dois primeiros meses da temporada - e conquistou vitórias sobre Miami, Oklahoma City e duas sobre o próprio Atlanta que estou elogiando tanto.

Mas não vá pela minha palavra; ouça Shaun Livingston, um dos principais beneficiários da evolução de Kidd. "Sua agressividade e sua assertividade com a escalação e com as chamadas de jogadas, especialmente nos planos de jogo (são seus pontos fortes). Ele vê como nosso jogo casa com o dos outros times, e os outros times têm de se ajustar a nós também. Ele era um armador e vê o que está acontecendo na quadra. Ele ser mais vocal nos ajudou muito também, porque apesar de termos líderes no nosso time, ainda olhamos para ele como líder do time, quando é hora de chamar uma jogada ou forçar um erro do adversário. Temos que dar o crédito a ele, vem fazendo um grande trabalho", disse o armador, logo após flertar com um triplo-duplo contra o Philadelphia 76ers; ele marcou 13 pontos, oito assistências e sete roubos de bola.

Aí vai o nosso ranking atualizado da corrida pelo prêmio de Técnico do Ano:

1. Frank Vogel, Indiana Pacers (37-10)
2. Mike Budenholzer, Atlanta Hawks (25-21)
3. Gregg Popovich, San Antonio Spurs (35-13)
4. Jeff Hornacek, Phoenix Suns (29-18)
5. Doc Rivers, Los Angeles Clippers (34-17)
6. Terry Stotts, Portland Trail Blazers (34-14)
7. Scott Brooks, Oklahoma City Thunder (39-11)
8. Rick Carlisle, Dallas Mavericks (28-21)
9. Jason Kidd, Brooklyn Nets (21-25)
10. Dwane Casey, Toronto Raptors (26-22)

Na cola: Dave Joerger, Memphis Grizzlies; Tom Thibodeau, Chicago Bulls; Randy Wittman, Washington Wizards

NBA nas redes sociais

Vídeo