Foi a paixão pelos esportes que fez com que esse ex-administrador de empresas resolvesse tornar-se jornalista. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já escreveu sobre esportes em vários sites e blogs e hoje é o responsável pelo setor de jornalismo de uma grande empresa de cosméticos da região do ABCD paulista. Porém, sua grande motivação ainda reside em comentar e escrever sobre eventos esportivos, especialmente o basquete. É fã e grande colecionador de artigos da NBA desde quando assistiu sua primeira partida ao vivo na antiga Miami Arena há 15 anos.

Decepcionantes

Los Angeles Clippers e Brooklyn Nets sonhavam em ir longe nesta temporada. Ambas as equipes moldaram seus elencos pensando nisso, investiram pesado e conseguiram uma boa classificação (quarta colocação) que lhes daria a sempre positiva vantagem de decidir em casa a primeira rodada dos playoffs. No entanto, nada disso ajudou e o sonho ficou adiado para o ano que vem.

Os Nets mudaram de casa (trocaram New Jersey por Brooklyn), investiram US$350 milhões no elenco e montaram um time de respeito com direito a quatro excelentes jogadores: o armador Deron Williams, o ala-pivô Gerald Wallace e o pivô Brook Lopez (mantidos e com contrato renovado) e a nova aquisição, o ala Joe Johnson (um dos mais disputados free agents da temporada). Mesmo assim fizeram uma temporada muito inconstante e fracassaram no momento decisivo.

Na primeira rodada dos playoffs enfrentaram o sempre respeitável Chicago Bulls, que além de não contar com seu principal astro, o armador Derrick Rose, ainda perdeu outros dois titulares durante a série: Kirk Hinrich e Luol Deng. Mesmo com essa excelente vantagem, o Nets conseguiu ser derrotado. Para piorar, a eliminação ocorreu na sétima partida, realizada em seu ginásio e contando com toda torcida a favor. Contratado para ser o cestinha da equipe, Joe Johnson sumiu neste jogo decisivo e anotando apenas seis pontos (2 arremessos convertidos em 14 tentados) foi considerado por muitos o grande responsável pela derrota.

Como resultado, o treinador P.J. Carlesimo foi demitido e agora tudo mudar para a próxima temporada. Algumas trocas deverão ser feitas e o banco de reservas precisará melhorar bastante.

Pelos lados do Oeste, o Los Angeles Clippers também foi muito mal. O “patinho feio” de L.A fez uma ótima temporada regular, obtendo pela primeira vez a marca de mais 50 vitórias em uma temporada, e com direito ainda a conquistar pela primeira vez o título da Divisão do Pacífico, deixando o eterno rival Lakers para trás.

Com um time forte que apostava na dupla Chris Paul / Blake Griffin, um elenco reforçado pelos experientes Matt Barnes, Lamar Odon e Grant Hill e o retorno de contusão do armador Chauncey Billups, existia a certeza de uma grande campanha nos playoffs. Entretanto aquela fama de “perdedor” ou “inexperiente em decisões” (para suavizar um pouco) voltou com tudo logo na primeira rodada contra o Memphis Grizzlies.

A série até que começou boa para os Clippers, com duas vitórias em casa e o prenúncio de classificação sem muitos problemas. Porém, tudo mudou a partir da terceira partida. O Memphis mesmo sem contar mais com seu principal jogador, Rudy Gay, trocado no começo do ano apostou tudo em sua dupla de “gigantes” Zach Ramdolph e Marc Gasol. A aposta deu certo, os Grizzlies mostraram superioridade, conquistando quatro vitórias seguidas, despachando, desta forma, os favoritos Clippers, que ainda tiveram o azar da contusão de Griffin que pouco pôde ajudar o time nos jogos 5 e 6.

O criticado treinador Vinny Del Negro tem tudo para fazer companhia a Carlesimo na fila de desempregados da NBA nos próximos dias e algo me diz que algumas mudanças deverão ocorrer neste que é um elenco teoricamente muito forte e repleto de boas peças, mas que ainda peca em momentos decisivos.

Independente disso fica a decepção com Nets e, principalmente, Clippers, que poderiam e deveriam ter ido um pouco mais longe na competição.

NBA nas redes sociais

Vídeo

  • Stotts and Lillard on Win

    Terry Stotts and Damian Lillard talk about the importance of getting a win in Portland.
  • Blazers vs. Grizzlies Game 4

    Damian Lillard scored 32 points and handed out seven assists to help the Blazers stave off elimination versus the Grizzlies, 99-92.
  • Lillard Scores 32

    Damian Lillard scores 32 points and hands out seven assists in the Trail Blazers Game 4 win over the Grizzlies.
  • Four-Point Play

    Damian Lillard hits the three-pointer and draws the foul for the four-point play.
  • Gasol Slams It Home

    Vince Carter and Marc Gasol work the pick and roll for the jam by Gasol.
  • Postgame: Damian Lillard

    Damian Lillard speaks postgame after the Trail Blazers win Game 4 over the Grizzlies to stay alive in the series.
  • Lillard Pulls Up

    Damian Lillard pulls up at the top of the key for two.
  • Turn On The Spin Cycle

    Marc Gasol spins by his defender on the baseline and scores on the reverse layup.
  • McCollum To The Hole

    C.J. McCollum picks up the loose ball and goes coast to coast for the hanging bank shot for two.
  • McCollum Lays It In

    C.J. McCollum drives to the basket and scores on the left-handed layup.
  • MCW's Near Triple-Double Highlights

    Michael Carter-Williams goes for a near triple-double (22 points, nine assists and eight rebounds) in the Bucks Game 5 win over the Bulls in Chicago.
  • Calathes Makes A Great Play

    Nick Calathes steals the ball and throws a full-court pass to Zach Randolph for the dunk.