Guilherme Buso deu seus primeiros arremessos numa quadra de basquete aos 9 anos de idade. Desde então, disputou todos os campeonatos das categorias de base, atuou por uma temporada de High School nos Estados Unidos e foi parte da equipe adulta de Santo André até sua formação acadêmica como jornalista na Universidade Metodista. Produziu o documentário "Bola ao Cesto", que faz uma retrospectiva detalhada da Seleção Brasileira de basquete masculina. Foi repórter da TV Federação Paulista de Futebol, mas jogar, assistir e comentar os jogos da bola laranja sempre foram sua tarefa predileta. Atualmente, é gerente de comunicação da Liga Nacional de Basquete e escreve para a NBA desde 2007.

Mano a Mano –Uma Aula de Esportividade

- Mano a Mano -

No Brasil, é muito comum as famílias se reunirem para falar de futebol. Mas no caso deles, o tema principal dos longos bate-papos sempre foi o basquete. Inspirados pelo pai, Guilherme e Gabriel Buso jogaram basquete desde garotinhos na cidade de Santo André. Coincidentemente, ambos fizeram intercâmbio nos Estados Unidos, no estado de Kentucky, conhecida como uma das grandes capitais da modalidade no país. E por todas essas razões, o esporte da bola laranja é uma paixão inexplicável para ambos. Todas as sextas-feiras, os dois irmãos estarão aqui na NBA Brasil para fazer o que eles mais gostam: falar do maior basquete do mundo. E você é o nosso convidado para participar desse grande debate, afinal, todos nós fazemos parte da mesma família basqueteira.





O Boston Celtics provou para o mundo, no último final de semana, o que significa ser torcedor de uma modalidade esportiva. Pela primeira vez após terem deixado a franquia alviverde, o ala Paul Pierce e o pivô Kevin Garnett retornaram ao TD Garden vestindo a camisa do rival Brooklyn Nets. Geralmente, os fãs recebem esses atletas com vaias e muita hostilidade nos ginásios e estádios por aí, mas em Boston, a recepção foi completamente diferente.

Os Celtics prepararam vídeos que mostraram toda a trajetória dos dois atletas com a camisa verde e branca e um final emocionante em que agradecia ambos os atletas por tudo o que eles fizeram por lá. Nada mais nada menos que um título da NBA (2008) e dois títulos da Conferência Leste (2008 e 2010). A atitude refletiu em toda a arena, já que os torcedores prepararam uma série de cartazes e pequenas homenagens aos seus eternos ídolos. Essa foi a segunda vez que os Celtics surpreenderam a todos com esse tipo de atitude. Em dezembro, o técnico Doc Rivers, hoje no Los Angeles Clippers, também recebeu uma bela homenagem do time e dos torcedores quando visitou a arena em Boston. Apesar de toda a nítida emoção gerada pela atitude, tanto a dupla dos Nets quanto o técnico dos Clippers não levaram o carinho pelo Boston Celtics influenciar e venceram seus respectivos confrontos. Agora, imagine uma situação interessante. Será que se o Boston Celtics tivesse chances reais de conquistar um título nesta temporada e o Brooklyn Nets fosse um adversário direto na disputa por vagas nos playoffs da Conferência Leste, a torcida receberia Pierce e Garnett do mesmo jeito? Aqui que entra a discussão dos irmãos Buso na coluna “Mano a Mano” de hoje.

Guilherme Buso
NBA Brasil
Análise do Guilherme

Que aula de maturidade da torcida do Boston Celtics! Por mais frustrados que eles tenham ficado com a saída de três peças fundamentais para o título de 2008, nada apaga o que eles representam para a história do clube. É sempre muito bonito ver torcedores aplaudirem o adversário da maneira como a galera de Boston fez no TD Garden. Lembro-me quando o meia brasileiro Ronaldinho Gaúcho “fez chover” num clássico entre Barcelona e Real Madrid, em pleno Santiago Bernabeu, e a torcida madrilenha o aplaudiu em pé. Isso é espírito esportivo. Isso é esporte.

Agora, entendo também que é muito mais fácil pensar em homenagens a rivais quando você sabe que seu time não tem chance de vencer, o que é totalmente o caso do Boston Celtics nesta temporada. A equipe de Massachussts perdeu todos os seus grandes ídolos nesta edição da NBA, inclusive, o armador Rajon Rondo, que desde a saída de Pierce, Garnett e Rivers, nunca mais foi o mesmo. O Boston ainda não conseguiu achar alguém à altura para ser a referência do time e os fãs devem ficar lembrando, constantemente, como era poder torcer para um time vencedor. Sinceramente, acho que ainda haveria homenagem se a situação do time fosse melhor na temporada. No entanto, tenho certeza de que uma parte da torcida não faria tanta festa para os “traidores”, afinal, Boston é tradicionalmente conhecida por ter os fãs mais chatos dos Estados Unidos. E eles não iriam deixar barato...

Gabriel Buso
NBA Brasil
Análise do Gabriel

Tenho uma opinião muito parecida que a sua, Gui. Admiro demais a atitude dos torcedores de Boston, mas acho que ela tem tudo a ver com a situação atual da equipe. Não precisa ir muito longe para lembrar uma diferente postura da torcida. Ray Allen em sua volta ao TD Garden não foi recebido da mesma maneira.

Uma homenagem também foi exibida ao ala do Miami durante o jogo, mas ao invés de aplausos, vaias foram ouvidas num primeiro momento. Também não dá para esquecer quando Kevin Garnett deixou o seu ex-companheiro de time no vácuo no momento em que o último entrou em quadra pela primeira vez. Paul

Pierce foi outro que não gostou da atitude de Ray Allen ao sair da equipe.

Acredito que o fato de Ray Allen ter escolhido jogar ao lado de LeBron, Wade e os principais rivais na busca pelo título da Conferência Leste influenciou na atitude dos torcedores e jogadores, no entanto acho que ele não deve ser sacrificado pela sua inteligente escolha, afinal o título veio na primeira temporada em que jogou pelo Miami e a sua contribuição não foi tão menor do que no título para o Boston em 2008 (o San Antonio Spurs lembra muito bem daquela bola de 3 no jogo 6).

Na temporada 2012-2013, vimos um Celtics muito diferente dos anos anteriores, que sempre era favorito ao título. Uma equipe totalmente dependente de Rajon Rondo. Após a derrota para o Knicks nos Playoffs, parecia que o ciclo havia terminado e KG e Paul Pierce dificilmente trariam novos títulos. Acho que aí que entra a atitude dos torcedores. Eles entenderam que os dois, assim como o técnico Doc Rivers, saíram no momento que o Boston mais precisa pensar no futuro.

Quanto ao time atual, o jovem treinador Brad Stevens terá bastante trabalho para colocar a franquia entre as melhores do Leste, e Rajon Rondo e Jeff Green terão que assumir de uma vez por todas o papel de líderes, a medida que os Drafts forem acontecendo nesse momento de transição.

NBA nas redes sociais

Vídeo

  • Smith Snags The Pass

    Josh Smith steals a pass and takes it down the court for the slam dunk.
  • Smith Saves, Brewer Treys

    Josh Smith makes an amazing save and finds Corey Brewer for the corner 3-pointer.
  • Ellis From Deep

    Monta Ellis hits the long three just as time is about to expire.
  • Ellis Beats the Buzzer

    Monta Ellis beats the third quarter horn with a deep heave from behind the arc.
  • Raptors on Game 2 Loss

    Dwane Casey and DeMar DeRozan address the media after falling to the Wizards in Game 2.
  • Wizards on Game 2 Win

    Randy Wittman, John Wall and Bradley Beal address the media following the Game 2 win over the Raptors.
  • Oop to Dwight

    Josh Smith tosses the lob to Dwight Howard for the two-handed slam.
  • Oop to Dwight

    Josh Smith tosses the lob to Dwight Howard for the two-handed slam.
  • Smith Sets Howard

    Josh Smith and Dwight Howard connect on the alley-oop.
  • Wizards vs. Raptors

    John Wall and Bradley Beal combine for 54 points as the Wizards take a 2-0 series lead.
  • Celtics on Game 2 Loss

    Brad Stevens and Isaiah Thomas address the media after falling to the Cavaliers in Game 2.
  • Howard Rejects Barea

    Dwight Howard swats Jose Barea's shot attempt out of bounds.