Foi a paixão pelo basquetebol que trouxe Rubens Borges ao jornalismo. De 2005 até 2011 Rubens foi repórter do BasketBrasil (http://www.basketbrasil.com.br). Após sair do BasketBrasil, Rubens não conseguiu ficar longe do basquetebol por muito tempo e criou o Hit The Glass (http://www.hittheglass.blogspot.com.br) onde segue iluminando os fãs da NBA.

Chalk Talk: Golden State Warriors e o Triângulo

Quem acompanha o Chalk Talk ou o Twitter (link ali em cima na minha bio) sabe da minha reverência ao Triângulo. Desde o retorno de Phil Jackson à NBA, a paixão pelo sistema ofensivo ficou mais clara ainda.

Na semana passada, o foco foi o New York Knicks. Mas o time de Phil Jackson e Derek Fisher não é o único com ‘“chefes’ com raízes no Triângulo. O Golden State Warriors tem Steve Kerr como treinador. Kerr venceu três títulos com o Chicago Bulls de Michael Jordan, Phil Jackson e Tex Winter, guru do Triângulo, e já usou um pouco do sistema na Summer League da Associação.

Ao contrário do Knicks, que deve focar bastante no pinch post (a posição de pivô na altura do lance-livre) o Warriors, com Stephen Curry e Klay Thompson, focará mais no perímetro.

Como as primeiras opções ofensivas do Warriors não envolvem o post-up, Kerr começou com jogadas que focam em seus armadores.

Kerr eliminou o passe do armador para o ala, fazendo com que o armador leve a bola para a ala, acelerando um pouco a jogada. O armador passa a bola para a zona morta e recebe um corta-luz do pivô.

O armador segue cortando para o lado oposto da quadra, enquanto o pivô faz outro corta-luz, dessa vez no jogador da zona morta.

Aqui surgem três opções claras. O homem com a bola, deverá ser Klay Thompson, o homem da cabeça do garrafão, e, do outro lado, esperando a movimentação, Stephen Curry.

Um chute de três pontos estava aberto, mas a infiltração pode cimentar as outras opções. Se a defesa ajudar agressivamente, o jogador aqui embaixo da foto, que será Curry durante a temporada, ficará livre para arremessar.

A próxima jogada pode livrar Thompson para o chute dos três pontos. Novamente o armador acelera a jogada levando a bola para a ala. Klay seria o cara lá em cima, na zona morta./p>

Ele recebe um corta-luz do pivô e, logo após, recebe a bola. Caso o arremesso não esteja disponível, Thompson pode cortar para a cesta, atacando o aro após mais um bloqueio do pivô.

Se Andrew Bogut ou David Lee forem o homem do corta-luz, Thompson terá uma opção caso o pivô adversário corte o caminho para a cesta. Os dois homens de garrafão do Warriors podem converter arremessos de meia-distância com tranquilidade.

Ainda outra maneira de livrar Curry ou Thompson, sem esquecer de novas alternativas caso a marcação reaja de maneira correta. Um corta-luz no homem da zona morta (o armador) feita pelo ala-armador.

O ala-armador fica na zona morta e o armador sobe para a ala, na linha dos três. Caso o defensor seja agressivo, o armador pode cortar para a cesta.

Nesse caso o Warriors recebe a oportunidade de uma bandeja. Se o defensor da zona morta tentasse ajudar a defender o aro, o ala-armador ficaria livre na esquina para os três pontos.

São dois times, Knicks e Warriors, com maneiras diferentes de utilizarem o Triângulo. Cada um focando em suas peças mais fortes. A temporada será divertida.

NBA nas redes sociais

Vídeo