Guilherme Buso deu seus primeiros arremessos numa quadra de basquete aos 9 anos de idade. Desde então, disputou todos os campeonatos das categorias de base, atuou por uma temporada de High School nos Estados Unidos e foi parte da equipe adulta de Santo André até sua formação acadêmica como jornalista na Universidade Metodista. Produziu o documentário "Bola ao Cesto", que faz uma retrospectiva detalhada da Seleção Brasileira de basquete masculina. Foi repórter da TV Federação Paulista de Futebol, mas jogar, assistir e comentar os jogos da bola laranja sempre foram sua tarefa predileta. Atualmente, é gerente de comunicação da Liga Nacional de Basquete e escreve para a NBA desde 2007.

A mais nova rivalidade

Não existe rivalidade maior na NBA que Boston Celtics e Los Angeles Lakers. Não tem e, provavelmente, nunca terá. Uma série de fatores fazem de Lakers e Celtics um confronto lendário do esporte mundial, mas nada seria dessa rivalidade se as duas equipes não tivessem brigado por títulos em quadra.

Os dois times fizeram ao todo 11 finais (ou 12 se contarmos a final dos Celtics contra o Minneapolis Lakers, em 59). A disputa está viva há muitos anos. Os torcedores, os atletas e a mídia nunca deixará de lembrar os momentos gloriosos que essas equipes já proporcionaram em decisões.

A rivalidade no esporte é avaliada por diversos motivos, como a regionalidade das equipes, o duelo entre os atletas e técnicos, ou até mesmo, a paixão das torcidas.

Miami Heat e Dallas Mavericks não chegam nem perto do histórico de Lakers e Celtics, mas com a reedição da final de 2006 agora em 2011, as equipes começam a escrever suas próprias histórias completamente juntas. Heat e Mavs chegam a segunda final e, novamente, um contra o outro.

Está certo que daqueles dois times que decidiram a NBA em 2006, somente Dwyane Wade e Udonis Haslem, pelo Heat, e Dirk Nowitzki e Jason Terry, pelos Mavs, estavam em quadra. No entanto, tenho certeza que Dirk, o presidente Mark Cuban e o torcedor do Dallas não esqueceu a derrota de seu time para o Miami. Consequentemente, Wade vai avisar aos companheiros de equipe que o adversário virá mordido e que a final terá alguns ingredientes a mais em disputa.

Isso é uma rivalidade. E não tem nada a ver com região, já que Dallas e Miami distam mais de 2.000km; nem pelos jogadores, pois os elencos são bem diferentes daquele ano. O que faz do confronto uma rivalidade é a luta pelo título, pois só quem chega numa decisão sabe o quanto isso significa.

Reedições em finais da NBA

Na história da NBA, que é considerada desde a temporada 1946/47, as reedições de finais ocorreram com 11 confrontos diferentes. O primeiro deles foi entre entre Minneapolis Lakers e New York Knicks, nos anos de 1952 e 53, com vitória dos Lakers em ambos os casos.

Los Angeles Lakers e Boston Celtics é o confronto que mais vezes foi disputado nas finais, 11 (oito vitórias dos Celtics e três dos Lakers). Em seguida, vem os quatro confrontos entre Boston Celtics e St. Louis Hawks e os três entre Los Angeles Lakers e Philadelphia 76ers e, também, Los Angeles Lakers e Detroit Pistons.

Outras reedições de finais que ocorreram na NBA foram: Chicago Bulls x Utah Jazz, Boston Celtics x Houston Rockets, Washington Bullets e Seattle Supersonics, New York Knicks x Los Angeles Lakers, Syracuse Nationals x Minneapolis Lakers.

NBA nas redes sociais

Vídeo