Guilherme Buso deu seus primeiros arremessos numa quadra de basquete aos 9 anos de idade. Desde então, disputou todos os campeonatos das categorias de base, atuou por uma temporada de High School nos Estados Unidos e foi parte da equipe adulta de Santo André até sua formação acadêmica como jornalista na Universidade Metodista. Produziu o documentário "Bola ao Cesto", que faz uma retrospectiva detalhada da Seleção Brasileira de basquete masculina. Foi repórter da TV Federação Paulista de Futebol, mas jogar, assistir e comentar os jogos da bola laranja sempre foram sua tarefa predileta. Atualmente, é gerente de comunicação da Liga Nacional de Basquete e escreve para a NBA desde 2007.

LA, baby!

Eu tive a fantástica oportunidade de acompanhar o All-Star Game da NBA de 2010, em Dallas, um evento incrível em todos os sentidos. Tecnicamente, ele deixou a desejar, o Torneio de Enterradas foi bem fraco, os outros desafios não tiveram nada que chamasse a atenção e o Jogo das Estrelas, em si, não teve nada demais, apesar do equilíbrio e o placar alto (141 a 139 para o Leste).

No entanto, o All-Star Game de 2010 entrou para a história da NBA, e, lógico, para minha vida também, no quesito espetáculo, principalmente, no último dia. A partida entre Leste e Oeste foi realizada no moderno estádio do Dallas Cowboys, de futebol americano. Parecia impossível que as arquibancadas ficariam lotadas, quando eu entrei no estádio, mas, sim, ele ficou completamente chapado. O evento teve a presença de 108.713 fãs, estabelecendo o novo recorde de público numa partida de basquete.

Falando em espetáculo, os shows que foram realizados durante o evento foram muito além do esperado. Na apresentação dos times, Usher ditou o ritmo, enquanto os jogadores de ambas as equipes surgiam do chão do palco. No intervalo, Alicia Keys e Shakira fizeram performances sensacionais, que poderiam ser vistas em Full HD no imenso telão de 2241 polegadas no meio do estádio.

Fica difícil de comparar e esperar algo mais grandioso do que aconteceu no último Jogo das Estrelas em Dallas. Mas, a NBA é sábia e sabendo disso, colocou o All-Star Game 2011 em Los Angeles, capital mundial do entretenimento.

Não haverá, dessa vez, jogo num estádio de futebol americano para mais de 100 mil pessoas e o show do intervalo será bem mais simples, com performance de Lenny Kravitz (lembra dele?). Mas, o interessante de um evento em LA é a quantidade de celebridades que estará no ginásio acompanhando as estrelas do basquete. Uma motivação a mais, não é verdade?

Tecnicamente, a competição deste ano deve ser superior que da edição anterior. No Campeonato de Enterradas, o pivô dos Los Angeles Clippers, Blake Griffin, deve chamar a atenção; nas habilidades, os principais armadores estarão na disputa; e nos 3 pontos, os jogadores do Celtics, Ray Allen e Paul Pierce, odiados pela torcida do Lakers (no estilo Nezinho, em Franca), dividirão a quadra com a sensação Kevin Durant.

No domingo, o dono da casa Kobe Bryant lidera um selecionado bem interessante do Oeste, com Ginobili, Durant, Westbrook, Griifin e Love mais as estrelas de sempre como Duncan, Carmelo e Nowitzki. Do outro lado, o quarteto dos Celtics, com Garnett, Pierce, Allen e Rondo, terão o trio de Miami, com James, Wade e Bosh, como os principais destaques da equipe do Leste.

Pena que eu não vou dessa vez

NBA nas redes sociais

Vídeo